Dicas simples

julho 8, 2008

Bom, diz a lenda da internet que o próprio marido da moça comentou o post abaixo (será que tem alguém que usa o nick Du Moscovis no lugar do mesmo? Vai saber…) Mas o que importa é que ela deu dicas de compras simples. Como eu disse, conheço muita gente que já pratica. Minha amiga, martinha, sem saber é sustentável como citou a moça do programa. Valoriza o comércio do bairro. No caso, Perdizes, que é bem completo. Queria ver se ela morasse em Osasco se seria assim. Mas tudo bem, ponto para Martinha. Eu também faço isso e dou preferência às pequenas lojas em vez de grandes redes. Por exemplo, compro frutas e legumes e comidinhas no Ponto Verde (011 5182 5161) ou no Fruto Amarelo , que trazem coisas orgânicas fresquinhas de Botucatu e afins (e mais gostosas do que as maçãs do Chile ou da Argentina vendidas em muitos supermercados. De quebra, você contribui para diminuir a queima de CO no mundo). Esses lugares privilegiam produtores locais e vendem tudo sem agrotóxico. É só um pouco mais caro, hoje em dia. Vale a pena. E é tãããão mais gostoso. Dá para fazer isso com roupas também. Sempre tem lojinhas do bairro que vendem coisas boas e baratas. E que não são óbvias. Hoje mesmo comprei um legging na Lúcia, perto da casa de mamãe. Ajudo a manter o emprego das balconistas, incentivo a economia local e economizo porque a mesma calça na Body Jam custa cinco vezes mais. Outro dia comprei as coisas do meu filho na Lulu Caju, que funciona na casa da dona, ali na Vila Madalena. Tudo de algodão, simples, feito no fundo da casa da estilista. Bem sustentável. E mais bonito que da Tigor, garanto. Bom, tem outras muitas dicas. Mas essa é a do dia. Fresquinha, feita aqui perto. Beijos.

Anúncios

Ser mãe é…

agosto 20, 2007

lolo.jpg
Passear com os babies por aí com um look super bacana. Nós merecemos não andarmos mulambentas, apesar do pouco tempo que temos para nos arrumar, entre mamadeiras e fraldas. Essa é a designer Larissa e sua filha, Lolô, muito fofa, aliás (acho que eu parecia com ela quando era pequena). Entre para o movimento das mães com estilo e mande sua foto chiquérrima com o baby fofo para publicar no Chiqueria.

Conforto tem limite?

julho 5, 2007

Eu li um post no blog do Ricardo Lombardi, www.desculpeapoeira.blogspot.com, sobre os tais sapatinhos, chinelos, sei lá, Crocs. Eu comprei um nas minhas férias pro meu filho, o Antonio, de três anos. É fofo. Em criança. (Qual não foi a minha surpresa ao ver que, aqui no Brasil, eles chegam a custar R$ 450 reais. Helou, por um chinelo de plástico???). Para andar é uma delícia mas, como ele disse, se conforto fosse tudo a galera iria trabalhar de pijama. Algum estilista famoso disse, certa vez, que mulher elegante não senta (algo assim, para não amassar a roupa). E eu vejo os homens de terno e gravata num calor absurdamente tropical. E aí, o que será que vale mais, conforto ou elegância? Dá pra ser elegante sem ficar com dor nos pés e sem morrer de calor, eu acho. Mas precisa ser com um sapatinho que parece o pé do Mickey? Bom, não posso falar mal porque tem um amigo que usa (mas, sério, fofo, fica lindo em você). Crocs não é elegante, claro, mas tem hora que você não quer tirar aquilo por nada na vida. Eu não comprei um pra mim, sou mais chegada em salto alto, mas acho que passaria o final de semana com ele no pé. É tipo pisar numa espuma. Mas eu acho que o apelo aí é outro. Ser largado com um sapato de quase 500 contos é hype. Socorrrro. Voltando ao conforto, não dá pra ir trabalhar de pijama, mas se o pijama não for uma camiseta Suvinil com buraco na barriga e um short do verdão (deuses!), eu até vou pegar a pizza lá embaixo vestida com ele. Você vai?

Dilemas da maternidade

março 20, 2007

chiqueria3-1832.jpg

E quando você precisa muito de uma saia lápis cinza chumbo, o dinheiro não está exatamente sobrando naquele mês e a cadeirinha de bebê do carro já está pequena demais para o seu filho? Ai, ai, ai. Claro, não tem conversa. Fico sempre com a segunda opção, pois é a segurança do meu querido, claro, mas essa divisão de gastos é mais um dilema de mãe. Mas e quando a liquidação da Maria Bonita Extra coincide com a hora de comprar um novo carrinho de passeio? Bom, nesse caso, se jogue na loja e esqueça o carrinho por um tempo. Leve o menino no braço. Depois de três meses, eles estarão lindamente tonificados!!! Hahahaha. Falando sério, o problema é quando a gente sai pra comprar roupinhas pros pequenos e acaba passando as próprias vontades de moda pra eles. Mas é uma parte que eu adoro: escolher umas roupinhas confortáveis e fofas pro Antonio, meu filho de 2 anos e 7 meses. Não fico atrás de grifes, não. Para brincar todo dia, qualquer Hering tá bom. Mas de vez em quando, uma coisinha mais bacana vai bem. A compra mais recente foi esse tênis da Zara aí na foto, ao lado da minha bota preferida, da Studio TMLS (www.studiotmls.com.br). Uma coisa meio surfistinha urbano, eu achei. Aliás, isso é o nino. Cachinhos loirinhos com uma bota de borracha amarela. Como você vê na foto, o tênis já está todo destruído porque o Antonio, ao contrário de mim, graças a deus!!!!, não dá a mínima pra esse negócio de estilo. Ainda tenho minhas restrições a homens que gostam muito de moda. Para ser amigo é ótimo, mas para namorar, é um saco. Você tem que ficar esperando eles se arrumarem. Ou, pior, quando eles querem voltar pro quarto pra trocar de roupa porque “não estou me sentindo bem com essa camisa”. Socorro, eu pensei que isso fosse um privilégio feminino. Onde é que o mundo vai parar se eles quiserem ter os mesmos direitos que a gente??? Só me faltava essa, agora. Ficar sentada no sofá da Daslu Homem lendo jornal enquanto ele prova dez mil calças. Não, não e não! Sem dizer que, se no banheiro dele tiver mais cremes que no meu eu, defintivamente, estou fora. Um dia eu explico as razões. Voltando ao papo bebês, as outras lojas que eu gosto para o Nino são a You e a Santa Paciência, na Vila Madalena. Mas o custo-benefício da Zara é imbatível nas liquidações. E como os pequenos não tem essa coisa de “so last season”, você compra várias peças de uma vez e não se preocupa mais nos próximos seis meses. Beijinhos, Nino. Mamãe te ama!!!