Dicas simples

julho 8, 2008

Bom, diz a lenda da internet que o próprio marido da moça comentou o post abaixo (será que tem alguém que usa o nick Du Moscovis no lugar do mesmo? Vai saber…) Mas o que importa é que ela deu dicas de compras simples. Como eu disse, conheço muita gente que já pratica. Minha amiga, martinha, sem saber é sustentável como citou a moça do programa. Valoriza o comércio do bairro. No caso, Perdizes, que é bem completo. Queria ver se ela morasse em Osasco se seria assim. Mas tudo bem, ponto para Martinha. Eu também faço isso e dou preferência às pequenas lojas em vez de grandes redes. Por exemplo, compro frutas e legumes e comidinhas no Ponto Verde (011 5182 5161) ou no Fruto Amarelo , que trazem coisas orgânicas fresquinhas de Botucatu e afins (e mais gostosas do que as maçãs do Chile ou da Argentina vendidas em muitos supermercados. De quebra, você contribui para diminuir a queima de CO no mundo). Esses lugares privilegiam produtores locais e vendem tudo sem agrotóxico. É só um pouco mais caro, hoje em dia. Vale a pena. E é tãããão mais gostoso. Dá para fazer isso com roupas também. Sempre tem lojinhas do bairro que vendem coisas boas e baratas. E que não são óbvias. Hoje mesmo comprei um legging na Lúcia, perto da casa de mamãe. Ajudo a manter o emprego das balconistas, incentivo a economia local e economizo porque a mesma calça na Body Jam custa cinco vezes mais. Outro dia comprei as coisas do meu filho na Lulu Caju, que funciona na casa da dona, ali na Vila Madalena. Tudo de algodão, simples, feito no fundo da casa da estilista. Bem sustentável. E mais bonito que da Tigor, garanto. Bom, tem outras muitas dicas. Mas essa é a do dia. Fresquinha, feita aqui perto. Beijos.

Cadê os depois?

julho 2, 2008

Meninos vivem me pedindo posts. Aqui vai um. Aí eu tava lendo uma matéria no site www.men.style.com, que eu super recomendo para todos, que transformou homens comuns, das ruas, em gatos de arrasar. Como? Um pouco de paciência e informação de moda. Eles mantiveram o tipo de roupa que o cara estava usando, mas melhoraram absurdamente os looks com roupas mais justas e peças de qualidade. Vejam só.

Esse é o típico garotão urbano, que não pensou muito em proporções. Veja lá embaixo como o horizonte poderia ser melhor para as mulheres da cidade (Tato, o amigo gringo mais lindo que uma mulher pode ter, esse parece com você, não? O depois, claro.).


Esse aqui parecia não ter jeito. O defunto era maior, como diria minha avó. Mas a GQ arrumou o homem! Acompanhem a transformação. De segurança de boate a executivo de Wall Street.


Enquanto há vida, há esperança. Eu adoro esse look para a sexta feira casual.


Viram? Como queríamos demonstrar, não é muito difícil, mas exige um certo tempo na hora de comprar e combinar as roupas. Escolha bons tecidos, que não amassem demais, de preferência (camisas com stretch, por exemplo) e não compre roupas dois números maior que o seu. Cheque a costura do ombro, no paletó e na camisa, e certifique-se que está apenas um pouco abaixo daquele ossinho pontudo que temos no ombro. E escolha calças que fiquem a apenas um dedo do chão. As meninas agradecem.

Joanetes

junho 4, 2008

Ontem vi uma foto no UOL que me chocou. Os pés ds Victoria Beckham, mulher que eu já acho uma aberração da dermatologia estética. Agora percebi que Christian Laboutin e Manolo Blahnik ajudaram a criar esse monstro. Os pés dela são a coisa mais horrorosa do mundo, completamente tortos. Me recuso a publicar a foto. Esse blog é pra coisas belas. Mas vale lembrar que os mega saltos que ela usa até para levar o filho no jardim-de-infância têm a ver com isso. Aliás, coincidiu com o meu momento. Comecei a sentir dores nos pés sexta, depois de usar um saltão. Aí fui procurar na Internet, maldito Google, um jeito de evitar o problema. Eu já sabia que era deixar de usar salto. E tenho evitado, mas não sei por quanto tempo. O mal é que também não posso usar sapatilhas. Os médicos dizem que elas também são um sacrilégio para os pezinhos. Uma matéria na Vogue americana de maio fala muito bem do assunto e mostra que, com o passar dos anos, os pés perdem aquela almofadinha que têm na planta. Isso faz você sentir como se estivesse andando “sobre os ossos” quando está em saltos altos, diz um médico da reportagem (infelizmente, ela não está disponível on line, um absurdo). Foi assim que eu me senti na sexta. Mas lá também diz que as ballerinas, ou seja, sapatilhas, não dão suporte ao arco dos pés e nem têm amortecimento suficiente para mantê-los saudáveis. Bom, o jeito é achar um saltinho, daqueles de uns dois centímetros, para não ficar com aquelas joanetes horrorosas da Victoria. Aliás, Joanete ali é só um detalhe. A mulher toda é um E.T. Quando eu achar lojas especializados em sapatos confortáveis, indico. Nos Estados Unidos tem a Aerosole (a maioria é meio sapato de avó, mas tem coisas que se salvam na loja) e aqui em São Paulo tem uma loja chamada CiaoMao, na r. Itamirindiba, em Pinheiros. Eu nunca fui, mas sei que são sapatos confortáveis. Uma palmilha de silicone também ajuda.

Momentos

maio 21, 2008


Estou num momento sapato. Sabe aquela fissura pré-TPM que a gente tem por doces e chocolates? Eu estou assim, mas só penso em sandálias, botas, scarpins. Idéia fixa mesmo. Eu sonho com eles agora. Vai entender. Mesmo que você não esteja no mesmo momento, todas as mulheres mais ou menos maduras amam sapatos (e jóias. Leia o post Não confie em ninguém com mais de 30… que não goste de jóias). Portanto, minha dica de hoje é uma bota que eu destaco porque tem um preço bom (R$ 199) e foge desse estilo caubói ou montaria que reina por aí. É da Jorge Alex, que tem lojas em Santana e Moema.

Larga da mão da múmia

abril 24, 2008

Faz um tempinho uma amiga me levou em um centro espírita. Eu não sou espírita, sou budista. Ou penso que sou. Mas foi bom ir, foi por um bom motivo. Lá, as pessoas rezavam pelos espíritos que não queriam ir embora, que não conseguiam acreditar que morreram. Ou não aceitaram que chegou a hora de dizer adeus. Não quero banalizar a situação. Eu respeito muito tudo aquilo. E rezei também para que eles partissem numa boa. Assim é com alguns relacionamentos, que temos que dizer adeus porque simplesmente não tem mais jeito. Com alguns empregos em que é o momento de ir, chegou a hora. Com amizades das quais não precisamos mais. Mas, o que é bom lembrar é que é assim também com certas peças de roupas das quais precisamos nos despedir. Sim, é duro. Ela te acompanhou por tanto tempo, em bons e maus momentos. Fez com que as pessoas olhassem para você e te admirassem. Você ficou mais bonita, mais atrante, mais charmoso, mais gostoso. Mas agora chega. Elas devem pertencer a outras pessoas, de hoje em diante. Quando a gente tira algumas coisas que estão atrapalhando a vida, abre espaço para outras que podem vir e ser bem melhores. Tipo aqueles casinhos que não… ahn, desocupam a moita, pra usar uma expressão da minha avó, mas que você não precisa pra ser feliz. Já foi, deu. Além do mais, vamos ser práticas. De que adianta um guarda-roupa lotado em que você não consegue nem encontrar as peças que mais gosta? E ainda tem que passar tudo de novo na hora de vestir porque é tanta coisa que não tem como guardar sem amassar? Tenho uma amiga que tinha mais ou menos umas dez portas de guarda-roupa (o meu tem duas e mais duas gavetas. Não preciso mais que isso). Um dia fui na casa dela fazer uma mala, pois ela ia viajar pra muito longe e precisaria de muita coisa. Bom, só pra ter uma idéia, tinha moleton cinza mescla da Pakalolo. Quem viveu sabe, eu não preciso dizer há quanto tempo isso fez sucesso. Fez tanto sucesso que ninguém poderia usar hoje impunemente. A não ser que os early nineties voltem à moda, e aí eu prefiro estar bem longe. Meu conselho é o mesmo que praquelas amigas que largam o namorado, mas o namorado não larga delas: solta da mão da múmia!!!! Ninguém precisa de coisa velha pra ser feliz. Aliás, nem de coisa velha e nem de coisa demais. Guarda-roupa minimalista é ótimo. E você ainda faz uma boa ação ajudando os seres que precisam se aquecer no inverno que está por vir. Claro, não quero falar daquelas peças que a gente ama eternamente, tipo a minha calça da Ellus boca de sino que eu uso incrivelmente há uns bons sete anos. E agora voltou!!!! Mas não pode ser muita coisa. De resto, doe pra abrir espaço para as próximas. E você vai ver como ficará mais fácil se vestir de manhã.

Raindrops

abril 18, 2008


As botas de chuva que eu trouxe das férias o ano passado estão na crista da onda (nossa, que expressão mais atual) e agora todo mundo quer um par. O único problema é que o preço é absurdo. Paguei 30 dólares há um ano e aqui no Brasil elas chegam a custar R$ 588 reais!!!???!!! Socorro, perderam a noção. Mas eu tenho a solução. Vamos pedir pela Internet. Nada garante que o correio não vá cobrar as taxas, mas é uma solução. Ainda assim sai mais barato. No site http://www.plueys.com. Tem pares por 50 doletas. Aqui no Brasil a Madri tem muitas cores, mas custam 270 reais ou em torno disso. O tel. é 11 3083 2719. Mas uma waterboot, como dizem, não pode custar tudo isso, né? É só pra não molhar os pés, afinal. Em grande estilo, claro, mas continua sendo isso. Se eu tivesse tido um surto psicótico e comprado uma por esse preço, iria mudar pra Ubatuba pra poder usar todo dia. Ou pra Santana do Parnaíba.

Falando disso

janeiro 10, 2008

necessaireludemari1.jpgnecessaire2.jpg
Gente, irmã de uma amiga, Lu De Mari, faz nécessaires, bolsinhas, penduricalhos e toy arts mais lindos do mundo. Tudo com suas próprias mãos de fada, diretamente do Recife. Entre no site para comprar. Os preços são ótimos. Clique para ver mais no BlogRoll ao lado. Eu não estou conseguindo inserir o link por aqui.